Em qualquer atividade em que corre muito dinheiro, é natural a existência de um mercado negro. Em World of Warcraft não é diferente — são famosas as histórias de jogadores que transformaram a moeda do jogo em um recurso de vida, ou até mesmo de prisioneiros chineses que jogaram forçados para lucrar.

Mas a Blizzard quer acabar com isso. O primeiro passo está sendo dado nessa segunda-feira (2), com o anúncio de um novo sistema de compra de “game time” com a moeda interna de World of Warcraft (o famoso “gold”). O sistema será viabilizado com uma moeda chamada Ficha de WoW, que poderá ser comprada e vendida pelos jogadores dentro de suas partidas. “Queremos ser os intermediários nessa transação para torná-la segura para os jogadores”, diz Ion Hazzikostas, game designer de World of Warcraft, em entrevista exclusiva ao IGN Reino Unido.

“A criação de um mercado ilegal teve um efeito negativo tremendo para os jogadores e a imagem de WoW”, explica Hazzikostas, que compara a venda de gold ao tráfico de drogas. “Há demanda para isso. Enquanto existir demanda, haverá mercado e produto”, avalia. Por outro lado, ele acredita que a alternativa oferecida pela Blizzard vai ajudar a todos. “Ninguém perde: quem compra não vai ser enganado, e quem vende, no fim das contas, também não vai ser prejudicado depois”, diz.

wow21280jpg-e14c46

Ficha de WoW terá seu preço baseado no valor de ‘gold’ do mercado negro, diz o designerHazzikostas

Para o game designer, a novidade deve servir a um grande número de jogadores. “Há o jogador que pode vender seu tempo para ganhar um pouco mais de gold ou para aquele que não necessariamente tem os cofres cheios, mas pode usar essa função para pagar um mês de jogo, reduzindo o custo de uma assinatura”, explica.

O novo sistema ainda não tem preço-base definido, e a Ficha de WoW deverá ter valores que mudam em cada país. “Já sabemos que itens do jogo, como roupas ou artigos de primeira necessidade, valem diferente na Europa ou na China. Isso deve se repetir com a Ficha de WoW “, diz o representante da Blizzard. “Vamos nos basear no preço em que o gold tem tido no mercado ilegal para estabelecer uma faixa razoável para ele”, completa.

Apesar de permitir que os jogadores possam continuar suas partidas sem abrir a carteira, a novidade não é vista pelo game designer da Blizzard como um avanço ao modo de jogo gratuito. “Estamos muito satisfeitos com o modelo de assinaturas para World of Warcraft. Temos mais de 10 milhões de usuários no mundo todo”, conta Hazzikostas, comentando ainda que o sistema de revendas não foi implementado por uma queda nas assinaturas.

 

Fonte: http://br.ign.com/